Ballroom e Youkoso – Primeiras impressões

Tema/Gênero: Comédia, Esporte, Romance, Drama, Escolar
Estúdio: Production I.G
Diretor: Yoshimi Itazu
Origem: Mangá
Nº de episódios: 24

Primeira impressão escrita por Rapha

Sinopse

Tatara é um estudante do ensino médio, que não aparenta ter qualquer plano para o seu futuro, não se interessando por nada. Um dia, ele segue, por curiosidade, sua colega de classe, a Shizuku, até um estúdio de dança, onde ele é abordado por delinquentes, sendo salvo pelo dono do estúdio, chamado de Sengoku. Após ver a Shizuku dançando valsa, e ver um vídeo de competição do Sengoku, Tatara acaba pensando ter encontrado um rumo através da dança, e começa a investir no esporte.

Proposta

A proposta de Ballroom, de construir os personagens através do esporte, não é nada muito inovador, mas o esporte a ser escolhido para se trabalhar é diferente do convencional. Afinal, não é todo o dia que se vê um anime de dança de salão, e tendo um esporte diferente para trabalhar, assim como Yuri on Ice, com uma sinopse que se assemelha a Hajime no Ippo, ele tinha um hype considerável em cima dele.

Mas em seus três primeiros episódios, ele não demonstrou ser nada demais, aparentando ser mais um anime de esporte, com uma pitadinha de ecchi leve em algumas cenas, e ainda contendo vários e vários problemas.

E os principais são sua animação, que é bem fraca, o que corrobora para o mal desempenho do anime nas cenas de dança, e a forçação de barra que ele tem para que você fique preso a trama, sendo esse último um dos piores, porque parece que o anime quer puxar todo o público possível, utilizando de uma comédia bem boba, um ecchi mal encaixado envolvendo a Shizuku e arquétipos básicos de um anime de esporte, mas sem um grande desenvolvimento por parte deles.

E essas situações fazem com que a proposta de Ballroom e Youkoso não funcione tão bem quanto poderia, já que ele resolve ficar muito na defensiva, não ousando muito e focando em momentos desnecessários.

Personagens

Sobre seus personagens, bem, alguns têm concepções bem interessantes, como o próprio Tatara, que é um personagem mais pra baixo, que não tem uma motivação pro seu futuro, e isso somado a sua personalidade mais introvertida, acaba corroborando para fazê-lo agir de forma mais deprimida, e um bom exemplo disso é quando ele é abordado por delinquentes, e ele mesmo ficando bravo quando eles o humilham, ele desiste e começa a concordar com eles, dando uma risada forçada (créditos a dublagem nessa cena, ficou muito boa e conseguiu puxar essa essência pessimista do Tatara). O Tatara foi o personagem que mais demonstrou potencial, já o resto do elenco aparenta ser bem… duvidoso, eu diria.

A começar pela Shizuku, que é uma personagem bem estranha, já que nos três primeiros episódios ela não apresenta uma personalidade definida, sendo basicamente moldada para o que a cena precisa. Em um momento, ela é séria, quieta e demonstra desinteresse no Tatara, logo em seguida, ela já começa a ser uma garota doce e amorzinho com ele, só porque ele começou a participar da dança de salão, e esse ciclo vicioso fica acontecendo o tempo todo, ficando difícil entender a personalidade dela. Seu parceiro, o Hyoudou, não tem muito o que falar até o momento, já que ele segue o padrão de rival “frio” do protagonista, sem muita mudança nessa base simples.

Agora falando do Sengoku, ele começa com uma base de ser o mestre empolgado, já que ele traz o protagonista pro estúdio e incentiva ele a praticar a dança, e quando o Tatara resolve aprender a dança de salão para ser como o ele, o Sengoku imediatamente troca sua base de “mestre empolgado” para a do “mestre severo”, que quer mostrar para o Tatara que a vida de um dançarino não é mole, sendo que antes ele incentivava o Tatara a praticar, dizendo que era um esporte tranquilo e divertido.

Por último, gostaria de ressaltar sobre uma das instrutoras do Tatara, que foi criada apenas para fazer uma piada idiota, já que ela é uma personagem gorda em um anime de dança, onde os personagens são magros, ou pelo menos bem definidos. E como eles utilizam essa personagem? Toda hora que ela aparece, os peitos dela balançam porque ela é gorda, e isso, além de não agregar nada na história, é uma personagem concebida de forma bem besta e infantil, até certo ponto.

Ritmo

O ritmo da obra pareceu apressado em seus primeiros episódios, já que a obra quer que você se importe com seus personagens, então ela força acontecimentos para que você simpatize com eles. Um exemplo disso é em seu primeiro episódio, onde o Tatara, após ver um vídeo de competição do Sengoku, ele fica maravilhado com a dança de uma hora pra outra, já que antes ele se demonstrava bem relutante em se matricular no estúdio, ou quando ele pratica a “caixa”, que é um movimento básico de valsa, e ele pratica por uma madrugada inteira (ao que dá a entender, sem parar).

Essa é uma cena que não funciona bem, por mais que seja comum esse tipo de cena em anime de esporte, isso tudo acontece em 10 minutos de episódio, demonstrando que o animê está desesperadamente querendo a sua atenção. Outro momento é uma substituição que o Tatara faz para o Hyoudou em uma concepção, que por mais que tenha toda uma justificativa para isso posteriormente, é mais uma forma do anime tentar forçar acontecimentos para que você se cative com ele. É o oposto de Dive!!, que tem 11 episódios e desenvolve pouco sua narrativa, aqui temos 24 episódios, e em um episódio, acontece coisas demais, e nem todas são bem construídas ou sequer relevantes.

Execução técnica

Em quesitos técnicos, a obra conta com vários problemas, a maioria acarretado aos quesitos visuais. Apesar do traço ser bem esquisito, à primeira vista, ele tem um certo individualismo, deixando tudo detalhado, mas com certos exageros, como os pescoços dos personagens, que são bem grandes, ou até mesmo a coluna de alguns personagens.

E esse traço diferente é interessante, mesmo que seja necessário se acostumar com esses exageros, o problema é que estamos em um anime de dança, e ele precisa de cenas movimentadas, afinal uma obra de dança deve mostrar os passos fluidos da dança em questão, e não é isso que acontece aqui.

Em um dos únicos momentos de competição de dança até o momento, ele demonstrou deixar tudo por conta de cenas estáticas, ou dando um close em alguma parte do corpo da pessoa, como os pés, e animando apenas essa parte de forma rápida, e pra um anime que quer mostrar os motivos do porquê o protagonista se maravilha com a dança de salão, ele não tem feito um bom trabalho.

Afinal qual o sentido de mostrar um anime de dança, onde a dança é composta de micro animações e imagens estáticas? E pra piorar, o estúdio que está animando Ballroom e Youkoso é o Production I.G, que já demonstrou se dar muito bem em animar um anime de esporte, como Diamond no Ace e Haikyuu!!, e ver a animação de Ballroom ser tão estática nas mãos de um estúdio desses, é bem decepcionante.

Sua direção consegue construir algumas cenas bem feitas, que mesmo com uma animação fraca, consegue passar o impacto desejado, mas nas cenas de dança ela não consegue segurar a barra, deixando assim, muitas das cenas de dança até meio confusas, já que as vezes não dá pra entender o passo que foi feito no momento. A trilha sonora é até boa, e tenta, junto da direção, compensar o baixo impacto causado pela animação, mas sem muito sucesso.

Conclusão

Mas enfim, assistir ou não Ballroom e Youkoso? Por mais que as primeiras impressões dele tenham sido bem negativas, foi por motivos válidos: sua premissa, apesar de genérica, é um pouco diferente por utilizar de um esporte inusitado como a dança, ele tem boas concepções de personagens, ele tem bons momentos de direção e trilha sonora, mas isso cai por terra por ele ficar muito na safe zone, não ousar e tentar ser mais do que ele é, utilizando bases e arquétipos que não conseguem trabalhar em conjunto, e isso tudo somado a forçação de barra e a animação muito abaixo do esperado, deixam Ballroom e Youkoso decepcionante. Como o anime terá 24 episódios, pode ser que sim, Ballroom e Youkoso consiga ser muito mais do que ele vem sendo, mas infelizmente ele não conseguiu convencer muito com esses primeiros episódios. Se você quiser ver mais uma obra comum de esporte, com um esporte diferente do convencional, e que pode melhorar conforme o tempo, você pode tentar assisti-lo, mas ele, infelizmente, demonstrou uma qualidade muito aquém do que poderia ser.

Gostou? Confira mais no nosso Guia de Temporada!

Compartilhar
  • Gabriel

    Esse e um bom anime pra assitir se você não tem dinheiro pro zoologico#girafasdancantes.