Darling in the FranXX – Análise Semanal – EPs #1 ao #3 – O anime polêmico da temporada

Yo galera, hoje venho aqui com a minha primeria review semanal (já fiz uma review final de Inuyashiki aqui mesmo no portal ;-D) e vou logo pegar um polêmico como está sendo Darling in the FranXX, que estou gostando bastante,  apesar de tudo. Vou analisar os 3 primeiros episódios porque não tive tempo de falar dos outros dois primeiros, mas vou me compremeter com esse anime de agora em diante (acabei seguindo a regrinha do Thunder de 3 episódios ¯\_(ツ)_/¯)

Sinopse e Informações Técnicas

Gênero: Ficção Científica , Mecha
Direção: Atsushi Nishigori
Adaptação: Anime Original
Estúdios: A-1 Pictures e Trigger
Número de Episódios: 24
Nota no MAL (Atual): 7.86
Sinopse: Tudo se passa em um futuro distante. A humanidade estabeleceu uma cidade-forte-móvel chamada de Plantação, na mesma existe um quartel general chamado de Mistilteinn, também conhecido como Gaiola. As crianças são enumeradas e têm como destino pilotar humanoides chamados de FranXX, com o objetivo de proteger a humanidade dos Urrossauros. A história se foca na perspectiva do jovem Hiro, também conhecido como Code:016, o mesmo era considerado um prodígio, mas acabou ficando para trás, mas tudo está para mudar após seu encontro predestinado com a garota de chifres “Zero two”.
(Fonte da Sinopse: Union Mangás)

Análise

Darling in the FranXX parece ser (pelo menos até agora) um daqueles animes shounen com um fanservice aqui e acolá, e personagens de personalidade já bem conhecidos: protagonista persistente; menina que gosta dele, mas não admite; garota misteriosa que é a solução pros problemas do protagonista; uma menina mais séria, outra com personalidade mais fofa; um garoto inteligente, outros que se acham. Até a história é aquele velho mundo apocalíptico. Não é difícil você associar tudo isso com outros animes. Mas se tem tudo isso de clichê, o que torna esse anime diferente dos outros o suficiente pra valer a pena assistir? É isso que vou tentar tirar desses 3 primeiros episódios.

“‘Então você é igual a mim’, ela disse.”

O primeiro episódio não tem tanta explicação sobre o que aconteceu com a Terra como tem no mangá (o anime é original, mas logo quando ele foi lançado, também disponibilizaram alguns capítulos da versão mangá), mas a gente consegue ter uma noção da situação desses adolescentes, e logo é apresentado o problema do protagonista que, apesar de ter problemas para pilotar um FranXX, ele ainda é considerado a elite dos Parasitas (como chamam as pessoas que pilotam os FranXX’s), já que o seu código é de dois dígitos (aliás, a Zero Two é a elite da elite, já que ela só tem um dígito, dá pra interpretar isso).

O episódio 1 termina com aquele gancho maravilhoso pro próximo episódio ao mostrar uma luta muito bem animada (Trigger nunca decepciona) e já colocar como maior mistério a waifu da temporada: Zero Two.

O próximo episódio foi mais desenvolvimento da situação e falar um pouco sobre a conexão que é feita para pilotar os FranXX’s. E é aí que chegamos na polêmica da vez. O modo como eles se conectam (com a menina na frente de quatro e o menino comandando com dois “joysticks”, digamos assim, vindos da bunda da menina) gerou uma polêmica danada, gente falando que o anime era só um puro fanservice. Olha… O anime tem fanservice, mas esse modo de pilotagem não é o fanservice do anime. “Como assim?!”, sei que é tão esquisito quanto falar que Onani Master Kurosawa não é hentai, mas é quase o mesmo fundamento.

O nome do episódio 2 é “O que significa se conectar ” e quando você analisa bem essa conexão que é apresentada, tem um certo sentido o que acontece dentro dos robôs. Você querendo ou não, tem, sim, analogia ao sexo. Porém, todo casal que se preze, é mais provável que eles se sintam mais íntimos, mais confortáveis, principalmente, após o ato sexual. Por isso que toda essa posição para pilotar os robôs ser ligada a uma “conexão” faz um certo sentido. Além de que, a conexão só funciona com quem tem compatibilidade um com o outro (pelo menos foi o que pareceu ser, interpretando tanto o episódio 2, quanto o 3), então Darling in the FranXX acaba tendo toda uma apologia a casais.

Não é por nada que a Zero Two chama o Hiro de Darling (deve ter uma explicação mais aprofundada sobre isso), que significa “querido” em inglês. Outra analogia a casais são as roupas que eles usam na hora de pilotar, as quais são muito parecidas com as roupas cerimoniais japonesas para casamentos (peguei essa analogia de uma teoria do site Você Sabia Anime). Inclusive, uma das primeiras coisas que aparece na história é a lenda de pássaros incompletos que só voam se estiverem juntos, os Jians. Além de que, nos uniformes dos garotos tem um Y estampado, e nos uniformes das garotas tem um X estampado (Referência aos cromossomos sexuais feminino e masculino). Se isso não é analogia a casal, não sei o que mais seria.

Uma explicação melhor no mangá

Então, se não gosta como essa analogia é feita, tudo bem, é só não assistir o anime, mas já descartá-lo sem saber o que pode ter ali por trás, pode ser um pouco radical. Mas isso tudo são teorias, você aceita (ou refuta, ou até melhora ela) abertamente, sem problema algum.

Bom, polêmicas à parte, falando da história em si, o maior mistério do anime não tá sendo nem os Urrosauros (como ficou a tradução daquelas criaturas. Inclusive, é um nome bem criativo, porque são dinossauros que “urram” um forte ataque como no episódio 1… criativo, só isso que tenho a dizer), mas, sim, os mistérios envolvendo a Zero Two e a Sterlitzia (FranXX que ela pilota), já que tem boatos de que quem pilota com ela não dura muito. Boato que, na verdade, foi parcialmente confirmado e logo com o que tava se achando O Parasita (serviu de experimento ¯\_(ツ)_/¯).

Digo parcialmente porque há boatos de que, quem pilota com ela, envelhece precocemente. Isso foi tirado de uma cena do episódio 2 que tem uns caras (chefes de governo, talvez) que comentaram que o Hiro não teve sinal de envelhecimento depois de “pilotar” a Strelitzia (coloquei entre aspas porque ele não se lembra de nada) e já ouvi falarem que aquele doutor que apareceu poderia ter sido o primeiro piloto da Zero Two, até porque na opening aparece um outro esquadrão, que poderia ser do 001 (a maioria das teorias eu vi no Você Sabia Anime, vou deixar o link no final para darem uma olhada melhor).

Agora, mais teorias que eu bolei principalmente do episódio 3: Os chifres da Zero Two. Nesse último episódio foi possível ver melhor a conexão que a menina faz no FranXX e eu pude notar que aparecem chifres holográficos no capacete que ela usa. E chifre lembra a Zero Two, que provavelmente tem esses chifres por ter o sangue dos Urrosauros. Então… Será que os FranXX’s são feitos de mesmo material dos Urrosauros?

Bom, um resuminho da história dessa Terra apocalíptica que só tem no mangá (até agora): Os humanos encontram uma nova fonte de energia que chamada “Combustível  Magmático” e a exploram com a construção de uma grande “Plantação” até deixar tudo ao seu redor totalmente devastado. Depois de começarem essa exploração, os tais Urrosauros apareceram (“do nada”) atacando cidades e, para combatê-los, os FranXX’s foram criados. As crianças que forem pilotá-los ficam dentro um espaço (Gaiola) até aprenderem a pilotar (O Hiro até comenta no episódio 3 que nunca tinha visto a cidade que tem além daquela redoma que eles moram).

Interpretando do anime agora, eles falam sempre em Latifúndio 13 (latifúndio só me lembra Yakusoku no Neverland kk), sendo que a redoma que os Parasitas ficam já é dentro daquela redoma gigante que dá pra ver durante a luta do episódio 1. Então, deve existir outras Gaiolas por aí (até porque, quando o Hiro vê a Zero Two pela primeira vez, ele pensa logo que ela é de outro pelotão por causa do uniforme diferente). Mas voltando a teoria da relação do Urrosauros com os FranXX’s, no episódio 3 é mostrado que eles são atraídos por esse Magma (Combustível Magmático) e se alimentam deles, sendo que, também foi revelado, que as armas que os FranXX’s usam são feitas de Magma. Então uma coisa que os alimenta também os mata? É como se estivessem lutando “fogo contra fogo”, digamos assim. Principalmente quando pensamos na Zero Two que tem sangue de Urrosauro e parece ser a mais forte dali.

Agora falando da parte mais tensa do episódio 3: A pilotagem com a Zero Two que não deu muito certo. Tinha teorias de que, quando ela pilotou com o Hiro, eles tinham trocado de posição dentro do robô. Só que, nesse último episódio, a Zero Two tava na sua posição normal como a menina do casal. Porém, tem uma hora que, depois do cara lá tá todo animado pilotando (se achando, inclusive), ela parece tomar o controle como muitos diziam que ela conseguia pilotar sozinha. Mas, por causa disso, o seu parceiro naquela hora sofreu as consequências. E o Hiro não na vez dele, sendo que ela fica dizendo que só ele pode ser o Darling dela. Então o Hiro tem realmente alguma coisa de especial em comparação aos outros Parasitas, sendo que ele não consegue pilotar com ninguém mais além da Zero Two (a Ichigo levou um fora no episódio 2 kk). Além disso, a própria dubladora da Zero Two diz que a personagem vira outra pessoa quando tá dentro do FranXX (Até a própria dubladora fica com medo kk).

Esses são alguns dos mistérios de Darling in the FranXX que o fazem tão interessante até agora, além das várias cenas de luta bem animadas (um anime de mecha sem CG já é um grande avanço. Se bem que o design dos robôs – que eu gostei bastante – são bem de personagem de anime) e a trilha sonora belíssima, principalmente, no episódio 1 (a compositora dessa trilha sonora foi aprendiz do grande Sawano Hiroyuki, por isso que tá tão parecido com as maravilhas que ele faz). Além disso, a opening está sensacional (já viciei na versão full) e a ending tá bem bonitinha.

Fanart by: @MoCoMoCoPoPo (Twitter)

Enfim, eu tô gostando muito de Darling in the FranXX, é um anime com uma direção muito boa, porque tá conseguindo organizar bem esses mistérios durante a trama, e ainda vai ter 24 episódios. Além de alguns takes que eles fazem diminuindo o tamanho da tela, como se estivesse focando no que tá acontecendo. Isso causa uma certa tensão e foco de quem tá assistindo.

Bom, espero que tenham gostado dessa Análise inicial (desculpa ter demorado) e comentem o que tão achando desse anime, se possuem mais teorias também. Ah! E leiam o mangá, tá muito parecido, mas tem umas coisinhas a mais (tipo a explicação que eu falei antes) e, pra quem gosta de um fanservice, no mangá é full sem censura. E mais uma curiosidade é que o Twitter oficial do anime fica postando depois dos episódios uns cards zuando o episódio, são geniais (Twitter: @DARLI_FRA).

Até o próximo episódio(╹◡╹)

Fonte de algumas teorias: Teoria sobre Darling in the Franxx

Darling in the Franxx: como funciona o controlo do mecha