Melhores Mangá/Manhwa desconhecidos

Olá povo viciado em mangás (assim como eu), hoje lhes trago algumas recomendações que, como o título diz, são desconhecidos ou mesmo muito pouco comentados nas Redes Sociais, mas que (pelo menos para mim) merecem um pouco mais de atenção, porque possuem histórias que divertem e emocionam tanto quanto os mangás mais famosos. Então, lá vai (meu) Top 5 mangás/manhwas deseconhecidos.

 

Mas… O que são Manhwas?

Bom, muita gente provavelmente nunca deve ter ouvido o termo Manhwa, então vou dar uma introduçãozinha. Basicamente, Manhwa é o termo dado a Mangás Coreanos e, que na minha opinião, tem umas histórias bem mais interessantes que os Mangás Japoneses, no sentido de serem mais diversificados. Muitos dos Manhwas, inclusive, são coloridos, o que às vezes deixam eles com capítulos pequenos, mas que divertem na medida do possível.

Um dos Manhwas mais famosos é Noblesse, que até teve algumas OVAs, mas o estilo dele é de tiras de quadrinhos todos coloridos, mas muito bem desenhados, diga-se de passagem.

Mas também Manhwas em preto e branco, e aí eles vão ter capítulos maiores (vou mostrar um no Top). E uma das maiores diferenças do Mangá Japonês pro Mangá Coreano é que você lê ele no estilo brasileiro mesmo, os quadrinhos da esquerda pra direita (como isso me bugou de início, porque eu já me acostumei com direita pra esquerda do mangá japonês, aí depois que eu fui descobrir sobre isso já tinha lido um capítulo inteiro do manhwa).

Depois posso fazer um post mais detalhado se gostarem mais desse estilo de mangá (até mesmo um top só de manhwas).

Top 5

5. Alive – The Final Evolution

Sinopse: Taisuke Kanou tem 16 anos de idade estudante do ensino médio. Ele tem dois amigos próximos, Hirose e Megumi. Hirose tem problemas com valentões, mas Taisuke está sempre lá para defendê-lo, mesmo que ele só acabe apanhando em vez de Hirose. Durante a aula, um dia, Taisuke é atingido por algo irreal e por essa fração de segundo, ele tem uma visão do universo. Como ele está andando para casa da escola, ele vê uma menina cair e morrer na frente dele, mas seu primeiro pensamento é o ciúme. Mais tarde, ele descobre que a estranha sensação de que ele atingiu está se espalhando por todo o Japão. Aqueles que são atingidos por ela ou cometem suicídio ou “evoluem”, mas os camaradas que evoluirão normalmente têm intenções sombrias para o resto do mundo.

Nota no MAL: 8.02

Aqui temos um mangá shounen, mas que retrata vários sentimentos humanos: raiva, ciúme, solidão, esperança. Até porque, os que evoluem ganham poderes que retratam os desejos de seus corações.

“Bom, aqui vamos nós”

Apesar de todos esses ensinamentos e questionamentos que o mangá traz, a história em si é bem rushada (rápida) que você pensa que já tá acabando mesmo estando só na metade dos capítulos. Porém, a arte é muito bonita e as cenas de ação são muito bem feitas (às vezes é raro ver cenas de ação em mangás que você entenda o que o personagem tá fazendo).

Como desviar com estilo

O autor desse mangá já faleceu e ele escreveu os últimos capítulos no leito de um hospital, então as últimas páginas tem mensagens bem emocionantes. A história num todo é boa, só podia ser mais lenta e desenvolver melhor, mas me divertiu.

 

4. Immortal Regis/Cavalier of the Abyss

Sinopse: Jae Hyuk é um garoto normal e trabalhador, que cuida de seu irmão doente, ao levar seu irmão ao hospital, ouve um tumulto e resolve dar uma olhada. O que ele não contava era que lá estivesse tendo uma luta de uma garota com um monstro e que no final dessa luta Jae Hyuk estaria morto.

Nota no MAL: Immortal Regis: 7.74 / Cavalier of The Abyss: 7.70

Calma, a sinopse não é spoiler, isso é logo no primeiro capítulo e esse protagonista passa a viver como um morto vivo. E esse é o Manhwa que eu falei que teria no Top (e foi o primeiro que li). Ele tem uma história muito boa, cheia de plot twists, principalmente nessa primeira temporada. “Como assim primeira temporada?” Immortal Regis é que nem Tokyo Ghoul, tem uma primeira parte e depois uma continuação com um pulo temporal (time skip) de alguns anos, sendo que a continuação de Immortal Regis é Cavalier of The Abyss, mas eu prefiro a primeira parte e nem terminei essa segunda ainda.

“Sua verdadeira força!!”

Eu considero esse Manhwa como um seinen, mas por ter lutas e comédia aqui, acolá, muitos podem considerar shounen. A arte é boa e a história tem um mundo cheio de várias criaturas, então pra quem gosta de mitologias no geral, pode gostar. A segunda parte é BEM maior que a primeira, tendo uma história bem mais complexa, mas por causa dessa complexidade, às vezes deixa a história bem clichê, sem mudar muito algumas coisas, tendo partes obvias do que irá acontecer e as únicas coisas mais interessantes dizem respeito a história de Immortal Regis. Já a primeira parte é pequena e concentrada no protagonista, tendo um desenvolvimento legal dele e com alguns plot twists de te deixar empolgado.

Alguns dos personagens de Cavalier of the Abyss

 

3. Hataraku Saibou

Sinopse: Dentro do corpo humano, há aproximadamente 60 milhões de células. Leucócitos, hemácias, plaquetas, macrófagos, células B de memória, células T killer, células exterminadoras naturais, células B, mastócitos e muito mais! Todas essas células diferentes funcionam incansavelmente dentro do corpo, nunca descansando por um momento, sempre tentando resistir à invasão de entidades estrangeiras como germes e vírus. até o inevitável final! De Akane Shimizu, vencedora do Prêmio Novato do Ano da Shounen Sirius, vem um conto informativo sobre células antropomorfizadas!

Nota no MAL: 7.49

Bom, esse daqui eu considero um dos mangás mais GENIAIS já criados. Ele retrata todas as células do corpo humano como personagens em formato de anime (raio japonizador), e com isso cria todo um mundo em que temos como protagonista uma Hemácia (célula do sangue) funcionando como funcionária do correio para entregar oxigênio para a casa das células e levar gás carbônico para os pulmões (isso pelo menos no primeiro capítulo, que é bem grande, diga-se de passagem). GENIAL

É shounen por ter bastante comédia, junto com as aventuras das células dentro desse corpo humano. Sério, você passa no vestibular lendo esse mangá, porque ele explica tudo de todas as células que aparecem e explica processos de maneira tão simples, que até uma criança entenderia (no primeiro capítulo eles explicam o espirro de uma forma GENIAL).

A arte é muito bonita e já tem um comercial animado pra sonhar um pouquinho que um dia esse mangá vá ter anime. Só tem um capítulo traduzido tanto pro pt-br, como pra inglês, mas vou dar um jeito de arranjar tradutor japonês pra editar mais, porque até eu quero ler e sou eu que editei o primeiro capítulo pt-br (faço parte da scan que traduziu).

 

2. Spirit Circle

Sinopse: Fuuta Okeya é um garoto normal exceto pelo fato de ver fantasmas. Uma linda garota, Kouko Ishigami, é transferida para sua classe, mas age agressivamente com ele. Fuuta tenta se dar bem com ela, mas acaba falhando depois que ela vê a marca de nascença que geralmente mantém coberta. Ela então o declara como seu inimigo, sua marca de nascença como uma marca amaldiçoada e afirma que eles têm uma longa história juntos em suas reencarnações.

Nota no MAL: 8.56

Esse aqui é um dos meus mangás favoritos, e mostra de uma forma muito interessante toda a crença do espiritismo ao retratar um ciclo de ódio entre dois personagens durante suas várias vidas passadas (passada, mas tem duas vidas no futuro das vidas principais kk). São várias vidas que o protagonista vai vendo até descobrir porque que uma menina quer tanto matá-lo, porque tudo é em relação a uma das vidas passadas em que o protagonista foi um grande vilão.

Todas as histórias das vidas do protagonista se relacionam com a menina, sendo que algum deles se lasca e em alguma vida eles vão ter que resolver isso, se não o ciclo de ódio nunca vai terminar. Uma coisa interessante é que os dois tem marcas das vidas passadas, que vão sumindo a cada vida, principalmente a do protagonista. A arte é um pouco diferente, meio bizarra, mas você se acostuma e a história não é muito longa, mas tem um bom desenvolvimento. Tem algumas poucas lutas e algumas cenas de desmembramento (violência no geral), mas tudo pra tornar o negócio mais realista.

“A gente se conheceu antes. E então, tiramos nossas espadas e nos enfrentamos com uma satisfação sombria, como se um longo acerto de contas tivesse vindo. Ei, estranho. Você sabe de alguma coisa?”

1. Onani (Onanie) Master Kurosawa

Sinopse: “Onani” significa masturbação. E é nisso que esse garoto é bom. Todo dia, depois da aula, ele se esconde no banheiro feminino menos usado, no 3º andar do prédio 1 da escola, e lá se masturba. Até o dia em que ele é descoberto… Esta é uma história de erros e redenção e as escolhas feitas entre eles e contém o melhor e o pior das condições humanas, descobertas pelos personagens no desenvolver da história.

Nota no MAL: 8.54

Tá, eu sei, esse aqui parece só um hentai, mas, na verdade, não é. Essa parte da masturbação não é explicíta e só serve pra lá na metade tratar um assunto bem mais importante, com um quase plot twist que faz você se emocionar até o final (é sério kk).

“Para Kitahara, e para mim também, esses dias dolorosos continuaram.”

A história no começo é realmente meio bizarra, mas na metade você não consegue mais parar de ler de tão emocionante que fica, e a arte dele (toda feita à lápis, com algumas poucas páginas mais estilizadas e coloridas) ajuda muito a passar a tensão da história (e admito que quase chorei no final). É um slice of life sem ser muito dramático e nem rápido, com um desenvolvimento dos acontecimentos e do protagonista, que amadureceu bastante durante a história.

“Eu acabei com toda a minha carga de suco de homem… Esguichado sobre tudo isso…!!” Eu sei, bizarro

Obs.: Esse mangá é uma web-magazine, ou seja, foi apenas divulgado pela internet, não sendo lançado por nenhuma revista, ao contrário da maioria dos mangás famosos de hoje em dia. – Fonte: Union Mangás.

Mas o autor lançou uma Novel de continuação dessa história (Onanie Master Kurosawa: After the Juvenile) e tem um outro mangá, que esse é publicado oficialmente, mas já é uma outra história (Last Menhealer).

 

Menção Honrosa

Kimetsu no Yaiba

Sinopse: O mangá conta a história de Tanjiro, o filho mais velho de uma família que é massacrada por um demônio e, a única sobrevivente do incidente foi umas das suas irmãs, que por causa do massacre acaba se transformando em um demônio. Então, o protagonista, Tanjiro, sai em uma jornada para tentar achar uma ”cura” para a sua irmã.

Nota no MAL: 7.64

Esse daqui não deveria ser tão desconhecido, até porque é da Shounen Jump, mas eu vejo muita pouca gente comentando e eu descobri em um post de alguém no Twitter. A história não é lá tão impactante, até porque os arcos são quase independentes uns dos outros, mas tem algumas cenas e plot twists que me impressionaram, sendo que o último arco tá durando muitos capítulos e o autor tá evitando o máximo de clichês (o protagonismo existe, mas é um dos mais irados que eu já vi)

“Quarto estilo: Maré impactante”

A arte dele é BEM diferente, com algumas cenas de comédia que você arregala os olhos de tão esquisito que ficou a arte, mas na hora das lutas, é um negócio lindo de se ver as técnicas de esgrima que eles usam. O mais interessante da arte é que parece aquelas artes japoneses antigos, como os dos pergaminhos, o que combina com a época em que passa o mangá (época em que tinham muitos samurais).

Arte do protagonista feita pelo mangaká de Sousei no Onmyouji (Yoshiaki Sukeno)

 

Boa leitura!

Espero que tenham gostado das recomendações, e ainda tenho muitos outros pra falar (um monte de isekai principalmente kk). Até a próxima 😉

Chikotan, Kowareru. Esse é bem engraçado. Pode aparecer numa parte 2 =D