Vatican Kiseki Chousakan – Primeiras impressões

Tema/Gênero: Mistério, Sobrenatural, Drama
Estúdio: J.C Staff
Diretor: Yoshitomo Yonetani
Origem: Novel
Nº de episódios: 12

Primeira impressão escrita por Rapha

Sinopse

Existe, no Vaticano, um organização de “inspeção de milagres”, responsável pela averiguação dos ditos milagres religiosos espalhados pelo mundo. Ela é composta pelo especialista em criptoanálise, Robert Nicholas, e pelo seu amigo, e jovem cientista, Hiraga Josef Ko. Juntos, eles devem avaliar se esses milagres são verdadeiros, enquanto cobrem os podres que eles podem causar para a Igreja Católica.

Proposta

A proposta de Vatican é, sem dúvidas, interessante, onde temos um animê que irá desbravar os segredos mais obscuros do Vaticano, e trabalhar toda essa contextualização religiosa, mas para por aí a parte interessante, porque em seus primeiros episódios, a obra só conseguiu demonstrar o quão medíocre, ruim e amadora ela pode ser. Várias passagens são ridículas e trashs, deixando tudo pior ainda.

A obra começa tentando dar um certo mistério pra coisa toda, mas na hora de explicar, ela consegue rasgar o roteiro por completo, um exemplo disso é quando vão explicar o porquê da concepção virgem de uma freira, onde a obra nos dá uma resposta muito bizarra e ridícula.

Tudo em Vatican é escuro, mas contendo muitas situações ridículas e espalhafatosas, fazendo com que a obra não consiga achar um clima para se manter, pois todo o peso é perdido com explicações absurdas e diálogos extravagantes, mas ela carrega um tom pesado visualmente.

A obra também contém um sério problema para um anime de mistério, que é não existir mistério, já que todo o suspense que tentaram criar até agora, falhou miseravelmente. Um exemplo disso é quando aparece uma cruz feita de sangue em uma parede, e ela é composta de runas que respondem algumas questões do anime, e no mesmo episódio, praticamente na cena seguinte, a obra entrega esse mistério das runas de bandeja, sem nenhum clima de suspense, ou até mesmo alguma dificuldade.

E uma coisa que piora todos esses problemas já citados, são seus diálogos, que não só são ruins e clichês, parecendo um filme de terror trash dos anos 80, como também contém um várias explicações tiradas do nada, não existe nenhuma linha de raciocínio para certas situações, mas esse anime é insistente nesse tipo de abordagem, deixando tudo mais e mais conveniente e excêntrico.

Personagens

Seus personagens se demonstraram ser bem fracos, eles já são concebidos de qualquer forma, e ainda são bem extravagantes, e é estranho que alguns deles foram “trabalhados” até demais, como o Hiraga, que teve toda uma contextualização para ser um inspetor de milagres, para pagar o tratamento do seu irmão, e poder viver bem com ele, o que já é genérico e dramático demais, enquanto o Robert é um inspetor de milagres porque sim, sem nenhuma profundidade para o personagem. Claro que ainda temos muito chão pela frente, mas é estranho focarem tanto no Hiraga, para um mistério que não tinha nada a ver com ele, enquanto seu parceiro é deixado de lado desse jeito.

Seus personagens também sofrem de uma falta de consistência em suas concepções e convicções, e o melhor exemplo disso é o Lauren, um hacker ajudante do Hiraga, que se manteve anônimo por tanto tempo, sem ninguém conhecer o rosto dele, e no terceiro ele episódio, ele mostra seu rosto e diz seu nome completo, sem motivo algum. Ou seja, já não basta seus diálogos horríveis e extravagantes, como nem suas concepções de personagens tem um mínimo de lógica.

Ritmo

O ritmo da obra se manteve bem instável durante o arco apresentado, já que a obra fazia questão de jogar diálogos idiotas e clichês a todo momento, e contendo um mistério bem simples para se resolver, mas como a obra quer ser grandiosa e complexa, começa a inserir plot twists para esticar o mistério apresentado, deixando tudo muito arrastado e tedioso.

Seu problema da falta de mistério se atrela muito ao seu ritmo, já que todos os plot twists inseridos são resolvidos quase que instantaneamente, deixando o peso desses twists mais fracos do que já são, tornando tudo ainda mais massante. E mais um problema de ritmo, é que todos os “milagres” possíveis e imaginários, são jogados no primeiro episódio, deixando a obra com um leque de possibilidades para trabalhar menor, e com mais chances de bullshits, como a parte do OVNI, que se revela um dirigível nazista.

Execução técnica

Depois de tantos problemas de roteiro e personagens, sua parte técnica deve tentar compensar todo o bullshit apresentado, certo? Não, é exatamente o contrário, ela piora, e muito, a obra. Sua animação demonstrou ser bem mal polida e com falta de movimentação, ela consiste de vários quadros estáticos, que sofrem de cortes extremamente rápidos, com ângulos e enquadramentos estranhos, apenas pra dar uma sensação de dinamismo pela direção. Direção essa que é bem cafona, não sabe construir as cenas e deixa elas ridiculamente extravagantes, parecendo até um animê da década de 80. Tudo bem que o Yoshitomo Yonetani é bem excêntrico (e provas disso não faltam, visto que ele é o diretor de Shokugeki no Souma), mas isso não é desculpa para entregar um trabalho tão cafona e amador como esse.

Não só isso, mas o anime também tenta esconder todo seu mal polimento com uma palheta de cores exageradamente escura e pesada, mas isso acaba surtindo mais um efeito negativo, porque não dá pra ver direito o que acontece na tela em alguns momentos, de tão escuro que fica, fora que alguns efeitos, como o de sangue, é inserido com uma edição horrorosa, e deixa tão ruim que parece um efeito de filme trash.

Em quesito de sonoplastia e trilha sonora, até que tem alguns momentos sonoros bacanas, mas algumas músicas foram inseridas de qualquer forma para várias cenas, existem momentos onde o clima estava calmo, em um momento de “reflexão” dos personagens, e do nada toca um coral espalhafatoso e alto no meio da cena, deixando tudo com menos impacto do que já tem.

Conclusão

Concluindo, assistir ou não Vatican Kiseki Chousakan? Esse anime, em seus três primeiros episódios, conseguiu ser tudo, negativamente falando: Roteiro ridículo e trash, personagens quebrados e confusos, diálogos terríveis, parte técnica cafona e mal feita, entre várias coisas,  mas a mais revoltante é que ele insulta a inteligência do espectador, tenta fazer tudo de forma grandiosa, fazendo com que você se sinta idiota vendo aquilo, e o único ponto bom que se pode realçar dele, é o fato que seu roteiro é tão ruim e ridículo que chega a ser engraçado todo esse bullshit apresentado. Mas ainda assim, é um anime que se demonstrou medíocre e com uma qualidade extremamente baixa, então não, não recomendamos Vatican Kiseki Chousakan para vocês, e mesmo que melhore posteriormente, vai ter que demonstrar uma qualidade absurda para fazer a qualidade inicial do anime ser perdoada.

Gostou? Confira mais no nosso Guia de Temporada!

Compartilhar
  • Gabriel

    Como assistir vatican:da um tapa no basiado,bota o bob marler pra tocar,e so vai(alias,esta um calor agora,acho que vou tomar um sacole de hittler).