Whitewashing na adaptação de Full Metal Alchemist?

E vamos discutir polêmicas…

A questão Whitewashing nunca apareceu tanto na mídia como está sendo tratado agora, ainda mais atualmente que por meio da internet, principal motor de discussão, vários internautas criticaram às péssimas escolhas de elenco em várias obras cinematográficas.  Mas antes de iniciarmos a discussão, irei falar um pouco sobre o termo:

Segundo o nosso grande amigo Wikipédia o termo whitewhashing, significa substituir, especialmente na indústria cinematográfica, personagens fictícios ou históricos, de etnia estrangeira, por atores norte-americanos ou de cor branca.

Para poder responder a pergunta do título, serão mostrados alguns exemplos dentro do cinema hollywoodiano de filmes que sofreram altas críticas a respeito do whitewashing

A Grande Muralha

O longa-metragem foi duramente criticado, pois apesar de estar ambientada na China, a trama principal têm como protagonista nada mais nada menos que um americano. Dentro daquele cenário feudal, nosso amigo Matt não se encaixava, estava claramente para representar o americano, em um filme que deveria ser um épico chinês (que dê chinês tem um monte, exceto o protagonista.), vimos um personagem fora de contexto daquele cenário feudal chinês.

O Vigilante do Amanhã

A versão do mangá/anime Ghost in the Shell estreou em março com um elenco polêmico: só os papéis secundários foram mantidos com atores orientais. Talvez de fato esse tenha sido o maior problema do filme, que não é tão ruim assim diga-se de passagem. Houve muitas críticas de muitos otakus a respeito dessa troca de etnia, apenas para que o filme se comunique de alguma forma com o público ocidental, ou para que o mesmo público se sinta representado ali.

Além desses dois exemplos tivemos a adaptação americana de Death Note produzido pela Netflix, que além de trocar a etnia dos personagens (pelo menos a própria Netflix disse seria uma adaptação americana de fato), houve também uma personalidade de alguns personagens nada condizente com os personagens da obra original.

Aí vocês devem estar se perguntando “Mas Luigi, porque você está colocando o filme de Full Metal Alchemist nessa história?”, assim que saiu o filme O Vigilante do Amanhã muitos sites especializados na cultura oriental (e outros não) criticaram a adaptação sobre o tema centrado nesse artigo, eu fui um deles inclusive, porém o filme que irá adaptar o mangá de Hiromu Arakawa também está sofrendo isso e está sendo muito pouco discutido  pela internet a respeito, talvez pelo fato de que a divisão japonesa da Warner Bros e também por ser o país de origem da obra.

Full Metal Alchemist talvez seja um dos poucos mangás que daria para fazer uma adaptação hollywoodiana sem haver uma troca de etnia de fato, já que estamos falando de uma obra onde a maioria de seus personagens são europeus, com isso estamos sim falando de um caso de whitewashing dentro da adaptação de Full Metal, se irá atrapalhar a história só vendo o filme em dezembro.

Como ficarão os Ishyvalianos no filme?

Uma das grandes questões que andei pensando a respeito do filme é como os Ishyvalianos serão tratados no filme, eles existiram? A troca de etnias na adaptação pode sofrer com essa grande perda de trama, a Guerra Civil de Ishyval sem sombra de dúvidas foi o grande massacre no mundo de Full Metal e um dos melhores retratados na história dos animes/mangá, o preconceito e a desigualdade social são o fator principal após a grande guerra, além de claro termos o personagem Scar apresentado após a introdução da guerra.

Com a troca de etnia ficará quase impossível retratar o povo de Ishyval, já que eles são negros e sabemos que não existem muitos negros japoneses na terra do Sol Nascente. Além de que a guerra civil de Ishyval é crucial para o desenvolvimento da história e de alguns personagens.

Só espero que eu não me decepcione (o que vai ser difícil) com o filme, e que pelo menos façam uma adaptação decente de um mangá que é considerados por muitos um melhores mangás de todos os tempos. A questão de whitewashing não foi à única decisão errada que a Warner Bros decidiu fazer, que podem ser discutidas quando o filme sair.

Compartilhar